Archive for the ‘Peugeot’ Category

Curtas – A volta

maio 23, 2007

Linha Allure – Pechincha?

É impressão ou já é possivel trazer carros importados ao mesmo preço dos nacionais?

A Peugeot está trazendo o 307 a preços de Toyota Fielder e Megane Grand Tour.

Mondeo, o hipoalergênico

Nunca tive alergia a nenhum carro, mas vou passar a conferir isso nos próximos modelos que eu entrar.

Minha irmã fica com o braço destruido se aproxima desses metais do baixo escalão da tabela periódica. Definitivamente algumas pessoas podem passar por situações inconvenientes em seus carros.

Accord – O Camry Killer

E a Honda matando a Toyota em design, mais uma vez. Nosso Corolla (leia-se o nosso e o do resto do mundo) está atrasado por conta do efeito “New Civic”. Viva à rivalidade dos nipônicos.

GM investe em transmissão para câmbio de seis marchas para seus médios nos EUA

Enquanto isso alguns fabricantes já vendem carros com câmbio de seis marchas até no Brasil, como é o caso do VW Jetta.

Anúncios

206 Pick-up e reestilização

maio 22, 2007

A Peugeot prepara poucas e boas para o 206. Além da versão pick-up o modelo deverá ser reestilizado.

A pick-up, ainda que seja só um trabalho artístico, revela que o modelo pode combinar, sim, com essa versão.

Salão de Genebra – Os hatches

março 12, 2007
E quem pensa que apenas alguns lançamentos de luxo e uns poucos conceitos fizeram o Salão de Genebra “esquentar” o inverno europeu engana-se. Muitos hatches foram retocados, ganharam nova geração, ganharam versões esportivas ou motores mais potentes e/ou econômicos. Confira conosco os destaques na categoria dos hatches, dos compactos aos médios.

Peugeot apresenta a versão esportiva do 207

Peugeot – Com a concorrência cada vez maior na categoria, como o Grande Punto Abarth (mostrado aqui há poucos dias) e o Corsa OPC, a Peugeot lança o 207 RC. Com motor 1.6 de 175cv (curiosamente menos potente que o antigo 206 RC, com 180cv num 2.0), injeção direta e câmbio de cinco marchas, o carrinho não faz feio perante os concorrentes. Há ainda suspensão mais firme, saída dupla de escape, rodas de 17”, bancos de competição e aerofólio.

Opel também mostra a vesão esportiva do seu hatch

Opel – Seguindo o conceito do 207 RC, a Opel também aproveitou a mostra suíça pra apresentar seu rocket-pocket. O Corsa OPC (VXR nos países da Bretanha) apresenta-se com um 1.6 turboalimentado de 192cv, perdendo na categoria apenas para o Clio, de 197. Além do motor, detalhes característicos da OPC também foram inclusos, como chassis revisto, suspensão exclusiva, rodas de até 18”, bancos Recaro, entre outros. A marca declara velocidade máxima de 225km/h, e 0-100 em pouco mais de 7 segundos.

Mazda 2 divide componentes com Ford Fiesta

Mazda – Ainda no segmento de hatches, é a vez de a montadora japonesa dar as cartas no quesito “novidade”. Isso por que o lançamento do novo Mazda2 foi o único do Salão na categoria, ante as versões esportivas dos concorrentes. E o 2 foi uma agradável surpresa de público e crítica. Dividindo componentes com o Fiesta, já que a Mazda faz parte do Grupo Ford, o 2 tem um design com linhas limpas e modernas que, nas fotos, deixa-o parecendo menor do que realmente é. Contará com dois motores 1.3 – um com 8 válvulas e 75 cavalos e outro com 16 válvulas e 84 cavalos – além de um motor 1.5 de 104 cavalos, ganhando uma versão 1.4 diesel no futuro. Pra completar, o pacote esportivo Sports Appearance Package(Pacote de Aparência Esporte), que é algo muito típico no Brasil: esportividade, só na aparência.

Fabia remete à irmã Roomster

Škoda – Quem conhece a marca sabe que, nem seria necessário frisar, a montadora se inspirou no belo Roomster para criar o novo Fábia. O hatch ficou com a frente que lembra muito a multivan tcheca, sucesso de público e crítica no velho continente. As linhas limpas e “alegres” dão um ar jovial ao modelo que começa a ser vendido em maio. A gama de motores também vem da irmã maior, sendo quatro a gasolina com injeção direta (1.2 8V 60cv, 1.2 16V 69cv, 1.4 16V 86cv e 1.6 16V 105cv) e três a diesel (1.4 6V TDI 69cv, 1.4 6V TDI 80cv e 1.9 TDI 105cv). Esta versão conta com um porta-malas de 300l, mas quem tem família maior pode optar pela versão três volumes (Sedan) ou pela perua (Combi), que devem ser reestilizados ainda este ano.

i30 divide plataforma com Kia Cee’d

Hyundai – Feito sobre a mesma plataforma do Kia Cee’d, o i30 é um modelo com linhas ousadas e modernas, sem aquele estilo de carro oriental (aliás, perdido há um bom tempo por carros japoneses e sul-coreanos). Muitos fizeram questão de elogiar: “os coreanos estão realmente fazendo carros bonitos”. Elogio ou crítica, não importa. É impossível não dar crédito à Hyundai pela ousadia, algo que o consumidor europeu admira (vide o sucesso de Renault Mégane hatch e Peugeot 307, ambos os carros polêmicos). O modelo segue praticamente todo o desenho do conceito Arnejs, mostrado no ano passado. Seu porta-malas comporta 340l (o mesmo que o Honda Civic sedan brasileiro) e a gama de motores é ampla: três motores a gasolina (1.4 FSI 109cv, 1.6 FSI 122cv e 2.0 FSI 143cv, todos com admissão e distribuição variável) e três a diesel (1.6 90cv, 1.6 115cv e 2.0 140cv), todos com 16 válvulas.

Mini ganha versão esporte após face-lift

Os outros – Longe de desmerecer os modelos desta parte do texto, porém estes têm um menor destaque diante dos modelos já apresentados aqui no AutoDiário. O primero deles é o Mini. Mostrado aqui em Agosto do ano passado, o modelo é lançado oficialmente no mercado europeu. Com leves retoques em faróis, lanternas, pára-choques, capô, grade e quadro de instrumentos, o Mini mantém a receita básica dos anos 60. E além das quatro conhecidas versões One (1.4 95cv), Cooper (1.6 120cv), Cooper S (1.6 Turbo 174cv) e Cooper D (1.6 Diesel 109cv), o modelo terá novamente a versão esportiva denominada “Cooper S John Cooper Works”, com motor 1.6 TFSI de 192 cavalos.

Série 1 ganha em esportividade na versão 3 portas

Além do Mini, o Grupo BMW também concedeu ao modelo de entrada da marca bávara, o Série 1, alguns leves retoques. O modelo chega ao mercado europeu em maio com novos faróis, lanternas, pára-choques, retoques no interior e com uma novidade que ressalta sua esportividade: a tão desejada versão de três portas, que ficou na antiga Série 3 Compact. Como mostramos no dia 17 de Janeiro , boas novidades ficam por conta dos seis air-bags, dos pneus de sistema RunFlat (que podem rodar furados por um certo tempo e distância), entre outros itens. A previsão é que chegue ao Brasil ainda este ano.

Texto: Matheus Q. Pera e Adriano Vieira

Peugeot 207 no Brasil

janeiro 19, 2007

Mais uma vez o Peugeot 207 é flagrado no Rio de Janeiro. E sem disfarces.

As intenções da marca francesa, todo nós já sabemos. Sabe-se que o 206 continuará em linha, e conviverá com o 207, que ocupará o nicho dos compactos Premium, concorrendo diretamente com C3, Polo e Punto. A faixa de preço irá se situar entre o 206 e 307, ou seja, custará entre 38 a 55mil reais.

Deve chegar ao mercado até o início do próximo ano, utilizando uma base mecânica similar a de seu antecessor, diferente da européia. O modelo terá como opcional o câmbio tiptronic, já apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo.

Só os detalhes ainda não são conhecidos. Algumas publicações especularam que deverá usar a plataforma do 206, mas os modelos flagrados não indicam essa possibilidade.

Texto: Guilherme Lopes

Agradecimento: Fábio Almeida


Nipo-franceses invadem o Louvre

outubro 31, 2006

Na última sexta, o grupo PSA apresentou as primeiras imagens e informações oficiais dos seus novos utilitários-esportivos, um mercado novo para as duas marcas. O Citroën C-Crosser e o Peugeot 4007 são as apostas das duas marcas num segmento que cresce a cada dia, mesmo na tradicional Europa. Os carros foram desenvolvidos em conjunto com a nova geração do Mitsubishi Airtrek (foto acima), precursor dessa categoria e atualmente o crossover mais vendido no mundo. Os modelos medem 4,64 metros de comprimento, 1,81 de altura e têm soluções práticas, como os dois lugares extras no porta-malas, que se escondem no assoalho quando não são usados (como na Zafira), e a tampa traseira que se abre em duas partes. Tudo sempre igual no trio…

Na frente, cada um seguiu as linhas características de sua marca. O resultado é um design bem agressivo

O que não se esperava é que os carros ficassem tão iguais no design também: apenas a frente muda radicalmente nos três modelos, sendo a lateral idêntica, assim como a traseira, salvo por detalhes como a lente das lanternas e os logotipos. No caso da frente, a Mitsubishi optou pela simplicidade nas linhas, como sempre fez, deixando a área bem limpa, mas que não deixa de ser agressiva. Toda essa agressividade, porém, some quando ele é posto perto dos irmãos franceses. O 4007 e o C-Crosser usam de todas as exóticas linhas francesas pra gerar a maior agressividade possível, cada um com seu design distinto, seguindo a escola de sua marca. O resultado são linhas que não agradam a todos, mas que não negam o lado esportivo e off-road dos carros. O grupo não revelou detalhes ou imagens do interior, mas espera-se que sejam tão distintos como as frentes, pelo menos dos franceses em relação ao Airtrek.

Na traseira, fica clara a falta de criatividade dos projetistas

Quanto a motorização, os carros usam o 2.2 HDi (diesel), de 156cv e 39kgfm de torque, um motor consagrado na Europa e que já equipa modelos como C5 e 407 (o Airtrek, porém, usará naquelas terras um motor de origem VW, próximo dos 140cv). O câmbio é manual, de seis marchas, podendo-se optar por um automático com trocas seqüenciais, algo semelhante ao usado no nosso 307. A tração, selecionada automaticamente, pode ser 4×2, 4×4 ou 4×4 com bloqueio de diferencial, e as suspensões usam os consagrados sistemas McPherson na frente e multibraço na traseira.

O primogênito, Airtrek: a traseira comum no trio, e o interior do modelo. Espera-se algo diferente da PSA nessa área

As vendas da dupla começam em meados do ano que vem, na Europa. Se um dia chegarão ao Brasil? É realmente uma incógnita difícil de ser respondida tão agora. A parte mais crítica seria rivalizar com o próprio irmão… Com importação confirmada para o próximo ano, o Airtrek chegará possivelmente com um motor 3.0 V6, e câmbio automático de seis marchas, por um preço não muito mais alto do que o praticado hoje pela atual geração. Se depender do sucesso que o modelo nipônico faz por aqui e do seu público fiel à marca, sem contar a total falta de tradição das marcas francesas nesse ramo, são poucas as chances de sucesso do 4007 e do C-Crosser por aqui. A Citroën, porém, com sua ousada proposta de modelos importados a preços competitivos, parece dizer o oposto. Depois do C4 Picasso e do C6, o C-Crosser pode ser uma proposta interessante pra alargar a gama do fabricante. E onde uma vai…

Texto: Adriano Vieira

207 não, 206,5

julho 31, 2006
Projeção por computador: Rafael Lima sobre foto de divulgação

A nomenclatura dos carros da Peugeot é um padrão representado por um número de três dígitos. O primeiro é a categoria a qual pertence o modelo, o zero no meio para todos e finalmente a geração. Então o 206 é o pequeno (categoria 2) em sua sexta geração. Na Europa, já foi lançado a sua sétima, o 207, mas aqui no Brasil, como está sendo de costume, ficaremos com um face-lift do antigo mesmo.

Ele manterá a mesma plataforma, lateral e motorização 1.4 e 1.6 16v. Diferenças ficam por conta de pequenas alterações na traseira e no interior. A grande mudança será na frente, seguindo o estilo dos atuais modelos da fábrica. A grade será um enorme “sorriso” e os faróis invadirão área do capô que será mais alto.

O “206,5” deverá ser apresentado no próximo ano, e conviverá com o 207, maior, mais moderno e mais caro.

Texto: Fernando Pedroso

Citroën 206 (*)

julho 10, 2006

Acredite se quiser, foi flagrado na China um protótipo do nosso conhecido Peugeot 206 com uma nova frente e, exibindo as engrenagens-símbolo da Citroën na grade do radiador. A reestilização ficou um pouco exótica, com traços do C4 e da futura substituta da Picasso, mas é difícil acreditar que um carro com identidade tão forte como o 206 possa se passar por Citroën. Mesmo estando em “casa”, já que Peugeot e Citroën fazem parte do mesmo grupo.

A China está parecendo um “mundo curioso e bizarro do automóvel” onde tudo se vê, nada é impossível de se imaginar. Eis a imagem divulgada pelos sites chineses Cheshi.com e Auto.Sohu.com:

Comentem!
(*) É possível que o carro venha a se chamar Citroën T21. (informação atualizada em 10 de julho, às 22:43).

França Contra-Ataca

junho 23, 2006
A Vitória inédita do Audi R10 TDI na edição deste ano das 24 horas de Le Mans, na França, foi apenas o início de uma corrida pela excelência do motor Diesel nas competições no velho continente: A Peugeot Anunciou que correrá Le Mans em 2007 também com um modelo a diesel, o 908 HDI. Líder no desenvolvimento de tecnologia em motores a diesel, o grupo PSA apresentou, por enquanto, apenas o motor que deverá impulsionar o protótipo pelas pistas européias.

12 cilindros… dois turbos… 5,5 litros… mais uma usina de força de (muito) respeito.

E que motor! o impressionante V12 HDI FAP apresentado pela Peugeot adota o ângulo de 100 graus entre as bancadas de cilindros, o que proporciona baixo centro de gravidade, contrbuindo para diminuir as vibrações. A tecnologia utilizada no motor deriva diretamente da aplicada nos motores de rua, segundo a marca. Os números de potência, assim como os do propulsor da Audi, impressionam: também valendo-se de dois turbocompressores, chegam a 700cv e nada menos que 120 kgf.m de torque máximo… nada mau. Em tempo: FAP é sigla para Filtro Anti-Partículas, uma tecnologia introduzida pela Peugeot em 2005 no 607 HDI e que proporciona baxíssimas emissões de poluentes.

O motor ainda está em desenvolvimento. Em 28 de setembro, no Salão de Paris, será apresentado um modelo em escala 1:1 do Peugeot 908 HDI. Dois dias depois, iniciam-se os testes de pista e a preparação para a edição 2007 da famosa prova.