Archive for novembro \28\UTC 2006

Pornografia sobre rodas – Mustang Giugiaro (Conceito)

novembro 28, 2006

Inesperadamente a Ford entregou os detalhes do novo Mustang na reinterpretação de Fabrizio Giugiaro. O “making of” dessas fotos do modelo já haviam circulado pela internet, porém não davam a exata dimensão do evento: preparem-se para um carro altamente obsceno. E tirem as crianças da sala antes de abrir (e salvar, claro) as próximas fotos.

O conceito tomou as melhores linhas do Mustang atual e foi um passo além, sem perder o espírito original. Cada vez mais presente. Há uma peça de vidro somente que faz de para-brisas, teto e vidro traseiro. As portas abrem-se verticalmente, somente com o apertar de um botão. Mais americano, impossível.

Debaixo do capô encontra-se um V8 de 4,6l construído em alumínio, com dois supercharghers e que produzem 500 HP de potencia. O radiador é de alumínio, também, e, segundo a Ford, permite que a potência seja elevada em até 700cv, sem problemas para a refrigeração do modelo. Barras estabilizadoras, molas e amortecedores foram retirados do Mustang FR500, preparados pela Ford Racing, com algumas alterações. As rodas são de 20 polegadas e estão equipadas com pneus 275/40 na frente e 315/35 na traseira.

Este conceito mostra as linhas que serão adotadas no próximo Mustang. Não esperamos nem as portas verticais, quanto menos o acabamento primoroso do conceito. Conquanto a essência seja mantida e aprimorada, como as fotos revelam, não precisamos de mais.

Texto: Guilherme Lopes
Fotos: Ford (Divulgação)




Curtas 15ª Edição

novembro 23, 2006
O perfeitinho da turma, se embriagando… A Honda começou a vender o Civic que toma álcool oficialmente. Batizada unicamente de FLEX, a versão já está nas concessionárias (‘sic’, descontando-se a espera pelo modelo) e deverá responder por 1/3 das vendas do carro, tendo aumento ou diminuição dessa parcela de acordo com a demanda. A versão flex gera 138cv com gasolina e 140 com álcool. O carro ainda traz injetores de combustível específicos e variáveis, além do tanquinho de partida a frio completamente separado do motor. Esse compatimento, para uso exclusivo de gasolina, é completamente isolado das partes quentes ou de qualquer fonte de calor da unidade motriz do carro. Apesar dos sistemas atuais, que ficam literalmente dentro do compartimento do motor, não serem “inseguros”, a grande preocupação da Honda fez com que o tanquinho ganhasse até um bocal externo e exclusivo, no pára-lama direito do carro. Os preços não foram alterados. O próximo será o Fit, em dezembro.

Um Eco mais Urb A Ford apresenta hoje o EcoSport automático. Exclusivo do motor Duratec 2.0, o câmbio é o mesmo que equipa o Focus, com 3 marchas mais overdrive. A potência é de 138cv (140 no hatch médio), e o torque, 18,3kgfm, que garantem uma boa agilidade ao utilitário. A versão automática estará a venda oficialmente em dezembro, com preços que partem de R$60.860, no acabamento XLS, passando pelos R$64.480 cobrados pela XLT e chegando nos R$65.600 na versão 4WD. É interessante destacar que, promoção ou não, os preços cobrados são exatamente os mesmos praticados nas versões com caixa mecânica. Além do câmbio, a novidade fica também por conta do aumento do tanque de combustível, de 45 para 54 litros nas versões 4×2 (a 4×4 mantém seu exclusivo tanque de 50 litros). Com as versões automáticas, há muito desejada pelos donos do utilitário, a Ford pretende atacar os consumidores de sedans médios, além de Fit, Idea e Meriva, que disputam uma faixa de preço ligeiramente mais baixa, mas com clientes num mesmo foco.

Alma japonesa, sangue europeu A Toyota apresentou a primeira foto da versão sedan do Corolla, exclusivo para o mercado europeu. O modelo é o mesmo Axio japonês, com modificações na frente e traseira, porém, que ficaram bem mais agressivas. A frente segue o estilo Camry, com linhas classudas e modernas, pára-choques com entradas de ar vincadas que lembram alguns Lexus e traseira com lanternas mais horizontais. A marca não deu mais detalhes, mas espera-se que a parte técnica seja a mesma do Axio, enquanto os motores serão dois a gasolina e dois a diesel, e o câmbio, manual, automático ou CVT. A apresentação deverá ser feita no segundo trimestre do ano que vem, pouco depois do Corolla hatch, lá chamado de Auris.

“Tacaram água” no Fire A alegria da Fiat durou pouco. Dois meses depois do Palio ficar em primeiro lugar em vendas, o carro voltou a amargar a segunda posição no ranking. O Gol vendeu 423 carros a mais nessa quinzena, diferença que deve aumentar até o final do mês. O Palio estava vendendo bem devido ao lançamento da versão Fire reestilizada, e da compra de muitas unidades por frotistas. Agora tudo retoma ao “normal”. Algo similiar aconteceu em 2001, pouco depois da primeira reestilização do carrinho italiano, que conseguiu passar o Gol por… exatos dois meses. O destaque do mês fica novamente com o Polo, que vendeu em quinze dias o equivalente a média de 2 meses deste ano. A reestilização fez bem ao modelo germano. Destaque também ao importado mais vendido (descontando-se Mercosul/México), Tucson, que mesmo pagando 35% do imposto de importação, emplacou 221 unidades nessa quinzena, vendendo 4 vezes mais que a idosa Blazer, nacional e mais barata.

Um pouco sobre a nova gigante A China está andando sobre quatro rodas. E Pequim é o motor e o volante disso. Com o sucesso do último Salão nessa cidade, vale se espantar com alguns números estrondosos sobre os chineses e seu mercado automobilístico. De janeiro a setembro foram vendidos cerca de 5,17 milhões de carros por lá. Estima-se que até o final do ano o número chegue a 6,80 milhões, desbancando o Japão do segundo lugar em vendas internas. Projeções ainda revelam que, se tudo continuar nesse ritmo de crescimento (o que é esperado), entre 2015 e 2020 a China se firmará como o maior produtor de carros no mundo, passando os EUA. O mercado é tão grande que até em segmentos de alto luxo os chineses começam a ditar as regras. Por mais que essa categoria detenha menos de 1% das vendas no país, sempre será um mercado maior que dos EUA ou Europa. Por causa disso, modelos exclusivos já começam a ser vendidos lá. Depois do conhecido A6 L, agora já estão disponíveis os novos Série 5 Long e Cadillac SLS, versão alongada do já abanheirado STS. Coisa pra se arregalar os olhos…

Dando um tapa no sapão Olhe bem a foto acima. Não dá pra ver muita coisa, mas é o que a Porsche deseja. Ela quer mesmo é que passemos vontade. Esses carros são os novos Cayenne, com uma leve reestilização frontal e traseira. Os faróis mantém o estilo atual, porém ficam mais finos, enquanto as entradas de ar ficam menores, menos agressivas e em maior quantidade. A versão de topo, Turbo S, ainda acrescenta mais entradas de ar sobre o capô e lanternas por LEDs, no pára-choque. O interior deverá receber meros retoques, enquanto a maior novidade em motorização deverá ser a troca do atual 3.2 V6, na versão de entrada, pelo 3.6 V6 de 280cv, usado também no Audi Q7. Lançamento marcado pra janeiro, em Detroit.

Texto: Adriano Vieira

Citröen Picasso – Facelift para os Brasileiros

novembro 20, 2006
A Xsara Picasso está prestes a mudar. Como já está se tornando comum, no AutoDiário você fica sabendo primeiro. Estas fotos escaparam antes de seu lançamento, mas não foram feitas no Brasil.

O projeto está em desenvolvimento juntamente com a Matriz Francesa. Ou já está desenvolvido, como se vê nas fotos. A mudança prevista, e que temos informação, era acerca de uma nova grade e novos faróis, afim de que a minivan ganhasse a identidade com os modelos mais novos da marca.

O para-choque do modelo flagrado, mesmo que diferente dos usados atualmente no modelo nacional, não são novidade na Europa. Chegaram em 2004 por lá.

Do modelo das fotos em relação à mudança adotada no nacional, a única dúvida que nos resta são os faróis. Segundo nossas fontes, eles mudam seguindo o formato adotado no C5. No modelo das fotos, a mudança é na disposição das luzes, apenas.

De qualquer forma, esta reestilização é uma boa solução a ser adotada aqui, e agrada muito, pois mantém a harmonia do desenho da minivan. Estas mudanças no nosso modelo devem ocorrer no próximo ano – em que o modelo já estará no sexto ano de produção no Brasil.


Texto: Guilherme Lopes
Colaboração: Rafael Lima

Novità Fiat – Sedici Brasileiro

novembro 15, 2006

O Salão do Automóvel foi encerrado a pouco, com uma grande estrela no Stand da Fiat: Concept FCC Adventure. Um pequeno utilitário esportivo que mostrou que a Fiat está totalmente atenta ao crescimento deste mercado.

E as possibilidades do Sedici – modelo produzido em parceria com a Suzuki na Europa e flagrado pelo nosso colaborador Marlos Ney Vidal em Belo Horizonte se tornar nacional são grandes. O veiculo foi testado pela imprensa brasileira há cerca de três meses, e, segundo uma fonte extra-oficial será produzido no mercado nacional em 2009.

Se confirmado, o jipinho terá caracteristicas semelhantes às dos principais concorrees (leia-se Ford Ecosport): motores à gasolina e tração 4×2. Coincidentemente apresenta distância entre-eixos igual à do Grand Punto (2,51m), que chegará no primeiro trimestre do próximo ano – o que facilita ainda mais a aplicação desta nova plataforma ao Sedici. Compartilhará também a mecânica deste último lancamento, com motores Torque 1.8 16v 1.6 16v – este último ainda não oficial.

O interior deverá ser mais simples que o vendido na Europa, até mesmo pelas características dos concorrentes com que competirá.


Será um importante aliado no crescimento da montadora lider no mercado nacional, hoje deficiente em veículos diferenciados, sofisticados e lucrativos. As vendas da montadora hoje se concentram em modelos baratos (Família Palio e Mille) – o que deve ser revertido com o Sedici e novos membros da família Grand Punto.

Texto: Guilherme Lopes
Fotos: Marlos Ney Vidal

SEGREDO – Novità Fiat

novembro 15, 2006

Guardar segredos dentro do mundo automobilístico é difícil, muito difícil. Todos os dias nos deparamos com surpresas e detalhes extra-oficiais que “escapam” de dentro das fábricas. E se segurar um modelo novo, uma proposta de renovação de motor ou mesmo um facelift é difícil, imagina manter o silêncio quando se trata de todos os lançamentos de um grupo nos próximos anos? E foi isso que (não) aconteceu com a Fiat. Um documento extraviado está disponível para qualquer mortal na internet e mostra quais são as novidades do grupo italiano até 2010, incluindo Lancia e Alfa Romeo.

De acordo com o documento serão 23 novos modelos e mais 23 reestilizações, durante os próximos quatro anos, dentro das marcas do grupo. Vale ressaltar que as novidades estão restritas à Europa, ocidental e oriental, não incluindo novidades que a Fiat prepara para a América do Sul, África, Ásia e até, possivelmente, América do Norte.

O Linea, sedan do Grande Punto, será uma das primeiras novidades da marca

2007 terá três lançamentos Fiat, um Alfa e nenhum Lancia. Os Fiat já são conhecidos: Bravo, 500 e Línea. O primeiro é o substituto do médio Stilo, com lançamento marcado para 29 de janeiro. Totalmente projetado por computador, o hatch estreará os motores T-Jet (turbo, a gasolina, com cilindradas baixas e alta potência) e o novo logo da marca. O Línea é a versão sedã do Grande Punto, que será lançado na Europa Oriental no começo deste ano, com motorizações e equipamentos equivalentes à sua versão hatch. Já o sub-compacto 500 é desenvolvido em conjunto com a nova geração do Ford Ka. Sem fotos oficiais, é aguardado para a metade de 2007. Além desses novos modelos, as novidades ficam a cargo da versão esportiva Abarth do Grande Punto, e de uma reestilização da perua Croma, esperada pro final do ano, como linha 2008.

O Bravo, sucessor do Stilo: estréia do logo novo e uma variante Multiwagon até o final da década

Já a linha de utilitários da marca, a única apresentação para 2007 fica a cargo do novo Scudo, van de porte médio feito em conjunto com a PSA. Teve fotos apresentadas há uma semana, e terá lançamento no primeiro trimestre.

A esportiva Alfa Romeo terá como principal lançamento o super-esportivo 8C Competizione, feito para rivalizar com os alemães. Já a perua Crosswagon aparece em nova geração, no modelo 159. Na divisão de luxo Lancia, completamente reestruturada nos dois últimos anos, a única novidade é a aparição de uma variante esportiva do Ypisilon, chamada de “Momo Sport”.

Assim poderá ser o Delta: baseado no Bravo, o carro trará de volta toda a esportividade e dinâmica da Lancia nesse segmento

2008 não terá nenhum modelo novo na Fiat, somente banhos de loja em modelos como Idea, Múltipla e Panda, enquanto o modelo 500 recebe versão esportiva Abarth. O documento acusa ainda uma reestilização no atual Punto (que ainda é vendido por lá) e no seu sucessor Grande Punto, algo que nos parece cedo, mas não para a Fiat. É esperado, finalmente, o lançamento da picape média da marca. Já a Lancia reeditará o Delta. Baseado no Bravo, o médio virá com pretensões esportivas e pronto pra voltar às pistas de Rali. Já a Alfa fará o lançamento de um modelo que o documento denomina como “Junior”, provavelmente uma tentativa da marca no segmento de pequenos.

2009 reserva, principalmente, a nova geração do Doblò, a variante conversível do 500 e uma reestilização pro jipinho Sedici. Ainda há o que o documento descreve como “C X-Over”, algo entendível como um crossover, ou uma alternativa maior ao Sedici, e “B-Compact”, que poderá ser uma alternativa menor e mais barata ao Grande Punto. A Lancia atacará com a nova geração do Ypisilon, enquanto a Alfa Romeo será completamente reestruturada, com a nova geração de 147 (149?), do 166 (esse sim, 169), e um facelift em toda a gama 159, além de Brera e Spider.

Uma das várias montagens sobre o futuro 500: terá versão Abarth e até um conversível

2010, ainda tão longe, não teve muitas novidades marcadas ou programadas, mas pode-se ver confirmado a nova geração do Panda, uma reestilização do Bravo e do Línea, além de uma variação do “B Compact” e da perua Bravo. Já a Alfa lançará o crossover “C X-Over” com sua marca, provavelmente numa área mais esportiva e dinâmica, onde o utilitário da Fiat não chegará.

Como se vê, uma das coisas mais difíceis para uma marca é programar novidades muito futuras, e segurar isso trancado a sete chaves. Ao que tudo indica a Fiat reserva boas novidades para os próximos anos, o que torna esse calendário de lançamentos inoportunamente lançado, uma grande propaganda para a marca. Mesmo assim, desejamos mais sorte para guardar os próximos segredos. Em breve vocês conhecerão no AutoDiário os segredos da Fiat nacional, que não ficam tão atrás da Européia.

Texto: Adriano Vieira

Informação na etiqueta

novembro 11, 2006
Não, o AutoDiário não avalia geladeiras. Mas temos prazer em informar ao consumidor que no próximo ano ele encontrará um adesivo semelhante colado no vidro traseiro dos veículos expostos nos concessionários, nos mesmos moldes do que já acontece na Coréia do Sul.
Segundo o responsável pelo projeto de etiquetas veiculares do Inmetro, Alexandre Novgorodcev, os primeiros modelos 2008 já devem vir com as etiquetas. Em 2007 elas serão facultativas, mas, em dois anos elas serão obrigatórias.
O objetivo da etiqueta é mostrar a eficiência do modelo comparada aos de outros modelos de sua categoria. Ainda estão estudando qual o método para isto, mas, segundo o responsável pelo projeto é mais provável que adote-se a divisão entre pequenos, médios e grandes. Com a subdivisão em categorias como caminhonetes e esportivos.
Atualmente as montadoras já são obrigadas a mostrar ao motorista os dados de consumo dos modelos. Nem todas o fazem seguindo o padrão obrigatório do Inmetro. E muitas outras nem o fazem.
Esta notícia, é, para nós, uma das melhores do ano. É urgente a precisão na aferição dos dados de consumo, além do fácil acesso a estes para o consumidor. Tal medida vai colaborar com a saúde financeira do dono, que poderá medir a importância do consumo em sua compra, e estimar a diferença nos seus gastos entre as diferentes escolhas. Além disto colabora com a redução na queima de combustíveis, ajudando na preservação do meio ambiente, diretamente.
Como é a aferição de consumo pelo método do Inmetro
No Brasil a medição é feita de acordo com o modelo Norte-Americano, em laboratórios com temperatura controlada de 20ºC. Os automóveis rolam sobre um equipamento que simula os trechos urbano e rodoviário, com acelerações, freadas, semáforos e aclives.

No percurso urbano, com 12,1 quilômetros de “extensão”, o carro mantém uma velocidade média de 34 km/h, atingindo a máxima de 91 km/h. O tempo para cumprir o teste é 8min25s. No circuito de estrada, o carro não pára. Anda 16,5 quilômetros em 12min50s, com velocidade média de 78 km/h e máxima de 96 km/h.
Fonte: ClickRBS/Zero Hora
Texto: Guilherme Lopes
Foto: Divulgação (Fiat)

Curtas 14ª Edição

novembro 8, 2006

Recalls Malucos Não é só no Brasil que ouvimos falar de recalls estranhos. A Europa está sofrendo desse mal, e só nas duas ultimas semanas foram três chamadas estranhas. Primeiro foi a Fiat, que recolheu todos os Grande Punto vendidos na Grã-Bretanha, pois os modelos eram mais inseguros que os carros com volante a esquerda, vendido no resto da Europa. Toda a confusão se deve à falta de uma barra, instalada perto da coluna de direção “esquecida” (!) ao se projetar o carro com volante ao contrário. Já a Honda chama os proprietários do novo Civic hatch, naquele continente, porque os carros saíram da fábrica com água no motor (!!), que a fábrica usa pra fazer testes. Mais recentemente a Peugeot chamou mais de 10 mil unidades do 307, vendidos somente na Dinamarca, e fabricados nos três últimos anos, para corrigir um problema no ESP, já que o sistema poderia se incendiar a qualquer momento. A marca culpa o sal (!!!) que o governo daquele país coloca nas ruas e estradas por causa da neve. O sal é usado para evitar lâmina de gelo no asfalto. E não é só a Dinamarca que faz isso…

Tio Sam se rende Com o galão da gasolina batendo recordes atrás de recordes em preços, os americanos começam a se render aos veículos menores e com combustíveis alternativos. A Ford está entre eles e lançará a picape F-150 (seu automóvel mais vendido) em versão diesel, algo inédito para os norte-americanos. Futuramente, sabe-se que esse motor chegará também ao utilitário Expedition, tendo grandes chances de equipar até o Lincoln Navigator. A unidade mais cotada para essa missão é a unidade 3.6 V8, da Land Rover. Chegará ano que vem na picape, e até 2010 estará difundido entre os 4×4 da marca.

Mais um ‘A’ para a família A Audi já começou a fazer os primeiros testes do novo cupê A5, que deverá ser lançado até o final de 2007. Por enquanto, sabe-se que ele estreará uma plataforma nova, chamada MDS, que equipará também o futuro A4. O carro terá uma distribuição de peso quase perfeita, com motores e câmbio situados atrás do eixo dianteiro, o que dará um comportamento dinâmico excelente. Sabe-se também que ele terá um longo entre-eixos, sendo um cupê de quatro lugares corretos, não um 2+2 com banco traseiro feito pra crianças, como é comum na categoria. Virá inicialmente com o motor 3.2 V6 da marca, e terá a tração Quattro opcional.

O Fire é fogo… O Palio está dando dor de cabeça pra VW. Pelo segundo mês consecutivo, o Fiat vendeu mais que o Gol, tentando tirar a liderança de 20 anos do modelo alemão. Dessa vez a diferença foi maior ainda, perto das 900 unidades. A versão responsável pela virada foi a Fire, a mais barata, recentemente reestilizada. O tapa no visual chegou ao sedã Siena Fire também, que passou da média de 3500 unidades mensais para pouco mais de 7mil mês passado, e desbancou o Classic como sedã pequeno mais vendido. Outro destaque foi o Polo, que dobrou as vendas com uma reestilização – chegando a quase 3500 carros emplacados. Já o C3 não precisou de visual novo, e emplacou 2269 carros, quando sua média é de 1500. Com as vendas dos modelos aumentando, estima-se que ano que vem finalmente passaremos em vendas o fabuloso 97, melhor ano da história da nossa indústria automobilística.

Briga de peruas O Segmento de peruas vai começar a esquentar. A VW confirmou a fabricação do Jetta Variant, perua da linha Golf que será fabricada a partir de fevereiro de 2007. Será feita em Puebla, México, na mesma linha de montagem do sedan. A VW irá divulgar motores, estratégia e mercados somente no próximo mês, mas já se sabe que ela terá o 2.5 5 cilindros de 150cv, e virá para o Brasil. Para nós ainda poderá ter o inédito 2.0 TotalFlex, que a deixará concorrer com as nossas peruas locais. Falando nelas, o Mégane Grand Tour já estará a venda em dezembro, com motores 1.6 e 2.0, e somente no acabamento Dynamique. Seus preços deverão partir de 65mil reais. Novidade inesperada foi a anunciada pela Peugeot, que afirmou que irá produzir o 307 SW na Argentina, junto com o hatch e o sedan. Terá preços mais competitivos, maiores ofertas de motores e acabamentos. A fabricação local da perua deve se concluir até o meio do ano que vem, pouco antes da morte da nossa perua média mais antiga, a Marea Weekend. A Fiat planeja uma sucessora para ela, que será produzida utilizando a plataforma local do nosso futuro Punto. Já está em desenvolvimento e é o membro mais esperado da família, já que os outros foram revelados recentemente.

Raposa Aventureira Quem não se lembra do CrossFox subindo o Pão de Açúcar? Agora o corajoso carrinho da VW pôde ser visto na Cachoeira do Saltão, em Brotas (SP), onde o ele “fez” um rapel. O carro desceu os cerca de 70 metros da cachoeira, com o apresentador Luciano Huck dentro. Ainda, cabos de aço movimentavam o carro sob a queda d’água, para dar mais emoção. O fato ocorreu dia 1º, às 11h, e durou cerca de 10 minutos. Poderá ser visto pela televisão no próximo dia 2, no Caldeirão do Huck.

Texto: Adriano Vieira

O conforto, cada vez mais próximo

novembro 3, 2006
“Foi tudo rápido demais. O sinal ficou verde, acelerei e virei a esquina. Não deu tempo nem de esticar a segunda, quando vi aquele Vectra novo estacionado, como mais um dos vários já vendidos. Mas tinha alguma coisa estranha nele. Quando dei por mim, que aquele carro poderia ser o que parecia, freiei delicadamente, quase perdi meu pára-choque traseiro, e estacionei em frente ao dito-cujo. Olhei no retrovisor e pensei “não é possível”. Pra qualquer outra pessoa que passasse ali, aquilo não significava nada. Mas pra mim, um pobre mortal do interior de SP, apaixonado por carros, aquela era uma coisa que não se repetiria nunca, pelo menos nas próximas semanas. Desci todo eufórico, com meu celular já preparado pra tirar as fotos. Sim, era ele. Não haviam as plaquetas nas portas dianteiras identificando a versão, mas as calotas de aro 15″, os frisos, espelhos e maçanetas pretos, e a falta de faróis de neblina já diziam: era um Vectra Comfort. Os vidros estavam todos bem escuros, sem chance nenhuma de se olhar lá dentro, mas ali eu já sabia: bancos de tecido, ar condicionado simples, sem computador de bordo ou apliques prata. O carro em si não era AQUELA novidade, visto que o próprio AutoDiário já tinha mostrado o modelo há alguns meses, mas ao vivo a coisa muda de figura. Tirei a foto da frente, sabendo que valor aquilo tinha. Na da traseira porém, uma voz lá de cima gritou “Hey, vou cobrar, hein??”. Não, não era Deus. Era o “dono” do carro mesmo, na sacada dum sobrado. Um funcionário da GM, muito, mas muito simpático, que não se mostrou nem um pouco incomodado por eu estar invadindo uma coisa mais restrita de seu trabalho. Pelo contrário, falou do carro como se quisesse que eu espalhasse tudo aquilo ali, mesmo. Me contou que o carro vem sim, apesar de dizerem que uma publicação “o matou”. Só não se sabe quando. A marca está esperando “baixar a poeira” (algo entendível como os rumores sobre o carro forem esquecidos um pouco). Ele falou um pouco de inutilidades, eu queria esticar a conversa um pouco mais, até pedir pra ver o interior. Mas o começo de uma chuva tentava me espantar dali rapidinho. E o fiz. Fui embora vendo aquele modelo se afastar pelo retrovisor.

Será que eu fiz um flagra mesmo? Será que o carro está prestes a ser lançado? Será que a GM está dando Vectras Comfort aos funcionários para estes usarem e testar a reação das pessoas na rua? Bom, se for essa última mesmo, e se depender da minha opinião, ele vai ser logo lançado. Fiz questão de deixar bem claro que o modelo estava maravilhoso (o que de fato estava), mesmo sem adereços estéticos, e seria uma oportunidade muito bem vinda pra GM aumentar as vendas dele, mesmo matando um pouco as do Astra. Afinal, por uns 52 mil reais estimados, o carro começa a se tornar muito interessante…”

Por Adriano Vieira

Carros jogando futebol – Fox x Aygo

novembro 2, 2006