Archive for the ‘Chevrolet’ Category

Curtas – A volta

maio 23, 2007

Linha Allure – Pechincha?

É impressão ou já é possivel trazer carros importados ao mesmo preço dos nacionais?

A Peugeot está trazendo o 307 a preços de Toyota Fielder e Megane Grand Tour.

Mondeo, o hipoalergênico

Nunca tive alergia a nenhum carro, mas vou passar a conferir isso nos próximos modelos que eu entrar.

Minha irmã fica com o braço destruido se aproxima desses metais do baixo escalão da tabela periódica. Definitivamente algumas pessoas podem passar por situações inconvenientes em seus carros.

Accord – O Camry Killer

E a Honda matando a Toyota em design, mais uma vez. Nosso Corolla (leia-se o nosso e o do resto do mundo) está atrasado por conta do efeito “New Civic”. Viva à rivalidade dos nipônicos.

GM investe em transmissão para câmbio de seis marchas para seus médios nos EUA

Enquanto isso alguns fabricantes já vendem carros com câmbio de seis marchas até no Brasil, como é o caso do VW Jetta.

Anúncios

Astra 2008 – Projeções e pesquisa

maio 6, 2007

tb_destaquefe_205adianteiradeveraseguirostracosdovectrabrasileiro_versaoelite1_050507104444.jpg

Essa é a cara do Novo Astra. Sim, é o que tem corrido. O modelo foi visto nos corredores da GM com esta cara, e fizemos a questão de mostrá-lo assim. Nada impede que o modelo visto seja só um prototipo, mas a sensatez indica que a GM preferirá unificar os pára-choques deste modelo aos de sua versão sedan, nesta geração denominada Vectra e já a venda há pouco mais de um ano.

Afinal, qual a melhor dianteira para o Astra? A Européia ou a desenvolvida no Brasil?

A propósito, não se esquecam de conferir os outros detalhes técnicos na reportagem completa. O modelo deverá receber importantes mudanças mecânicas e contar com versões bem interessantes.

 tb_ampliafe_205adianteira_casoagmoptepelodesigndoeuropeu_versaoelite3_050507104444.jpg tb_ampliafe_205adianteiradeveraseguirostracosdovectrabrasileiro_versaoelite1_050507104444.jpg

Novo Corsa 2008 – Evolução, não revolução

abril 26, 2007

A GM está preparando mudanças no seu compacto. Sim, elas ficaram abaixo das espectativas de muitos, pois, afinal todos os elementos que o modelo vai ganhar já não são novos. A dianteira foi renovada, mas mantém faróis e capô atuais. E o desenho do novo pára-choques já é conhecido. Ainda sim, o modelo ganhará uma indiscutivel agressividade no visual, sem desequilibras as belas e acertadas linhas.

E sob o capô há mudanças, também. O VHC, que sempre teve um histórico de baixo desempenho e alto consumo, que só foi revertido na sua ultima evolução na linha 2006, em que se tornou dentre a categoria premium 1.0 o modelo com melhor desempenho e consumo (dentre Fiesta/Fox/Palio ELX), mas ainda abaixo das expectativas dos consumidores. Este será substituido pelo 1.4 flex já usado Prisma. Esperamos que tenham aperfeiçoado este motor, também.

E o salto em desempenho será grande, aumentando a cobiça pelos consumidores. Adequando os equipamentos, hoje um de seus pontos fracos (já que os pacotes são complicados e caros se comparados aos concorrentes) a um excelente preço e boa campanha de marketing o modelo terá boas chances de se reerguer.

 A única ressalva? O atual 1.4 tem sido excepcional nos testes de desempenho, além de gerar um ruido e aspereza abaixo da média. Mas o consumo é elevado e precisa ser aperfeiçoado pela GM.

Novo Omega, Volvo e os Kits de Acessórios

abril 3, 2007

Apontamos no site uma projeção de como será o Novo Omega 2008, na versão a ser vendida no Brasil. Porque, afinal, ele é tão interessante? Com o V6 que têm, aliado à deliciosa tração traseira, é quase imbativel na categoria. Só o 300C que têm mais, mas estimamos que o Omega deverá custar razoávelmente menos.

E finalmente ganhou um visual jovem.

Para os fãs da Volvo, há a história completa dos principais fatos que aconteceram nos 80 anos da montadora.

E, o terceiro ponto: na esteira dos kits lancados pela Fiat, a Renault lançou pacotes de opcionais para o Kangoo e Master. Afinal, estratégia de marketing ou real vantagem para o consumidor?

Fica claro que as empresas conseguem vender mais acessórios por um preço melhor. Mas não há a liberdade de escolha dentro desses pacotes. Porque não reduzir os preços e vende-los separadamente?

Apostando para poder Andar na Frente

março 1, 2007
A atual terceira colocada no mercado em 2007, segundo dados da Fenabrave, deve investir muito no nosso país nos próximos anos. A idéia da marca da “gravatinha” dourada é entrar em novos nichos de relativo sucesso no país e modernizar outros veículos da gama, e ampliar a opção de motores nos modelos da empresa, entre outras novidades.

Novo Astra – O líder de seu segmento no país deverá receber modificações neste ano. Será muito parecido com o modelo já vendido na Europa desde 2004. A frente terá alguma semelhança com a do Vectra, mas a grande aposta é que conte com linhas mais esportivas, como a versão européia, já que o público dos dois modelos é distinto. O interior deve ser o mesmo do sedan médio. Cogita-se a versão GSi com motor 2.4 – o mesmo utilizado no Vectra. Na Argentina, por exemplo, o atual Astra GSi conta com opção 2.4 16v. Com a chegada da nova linha, o Astra Sedan deverá ter seu nome alterado para Astra Classic. Os hatches sofisticados serão substituídos pelos novos, mas não é certo que acontecerá o mesmo com os mais simples, hoje chamados “Advantage”.

Novo Corsa – Há mais de cinco anos sem alterações, ao atual geração do Corsa, desde que foi lançado nunca empolgou o público como seu antecessor, não deslanchando nas vendas. Mesmo que seguisse o mesmo acabamento de boa qualidade que o modelo europeu. O problema dele é que o motor 1.0 tinha pouco torque para o considerável ganho de peso na nova geração, gerando, inicialmente muitas críticas em relação a seu desempenho. Com isso a GM efetuou diversas melhorias nesta versão, que privilegiaram o desempenho e consumo. Mas ainda é clara a vocação urbana do modelo. Já a opção 1.8 custa muito mais, deixando uma lacuna dentro da linha para os consumidores que desejam a modernidade do Corsa, aliada a um desempenho superior ao 1.0 mas que não desejam o 1.8. Mas, em 2008 (provavelmente como linha 2009), ele deverá receber retoques na mesma carroceria, longe da moderna plataforma do recém-lançado irmão do velho continente. Entre as novidades deste face-lift, está a grande possibilidade do motor 1.4 já estar figurando na linha. Enquanto isso, o Corsa continua atrás de Palio, Fox e Fiesta nas vendas.

Nova S10 – A filial brasileira da Chevrolet foi designada para desenvolver as novas picapes da marca para o grupo GM. A S10 renovada deverá ter inspiração na Isuzu D-Max, de origem tailandesa e que foi fotografada na cidade de Bombinhas (SC), com placas do Paraguai. As fotos, porém, não estão disponiveis no momento. A Chevrolet se prepara para a concorrência forte da exuberante Hilux e das novas Frontier e L200 (Triton – ainda não confirmada). A novidade da linha 2007 foi o motor 2.4 Flexpower. Já o futuro da Blazer, derivada da S10, é incerto. Não se sabe se terá um sucessor inspirado no MU-7 que deriva da D-Max. Muito foi dito sobre uma “tropicalização” dos Chevrolet Equinox e Captiva e do Opel Antara, mas até agora nada está confirmado. A dúvida da filial está entre o utilitário tailandês e o modelo da divisão alemã.

Nova Zafira – Depois de ficar em dúvidas entre a produção de uma Vectra Caravan ou da renovação da Zafira, a Chevrolet parece ter finalmente optado pela segunda alternativa. Como já tinha a carroceria praticamente pronta, visto que a mudança para a Zafira II não é tão radical, tornou-se mais viável produzi-la. E seguirá as linhas do Astra renovado, como na Europa. A Chevrolet também descartou a produção conjunta da minivan e perua por acreditar que não há mercado para os dois modelos no país, como a Renault também constatou.

Spark – Ray Young, presidente da Chevrolet do Brasil, comentou, no Salão de Detroit (EUA), que há grande possibilidade de o Spark ser importado para o mercado nacional. A GM aproveitou a plataforma e vários componentes do Matiz, o projeto original da Daewoo, que foi comprada pela General Motors. É um minicarro do tamanho de um Picanto, menor que um Ka, que é produzido na China através de uma joint-venture da GM com a Wuling. Não seria difícil deixa-lo no nível dos modelos produzidos aqui, pois o acabamento conta com bancos de Celta e plásticos granulados como os utilizados em Corsa, Meriva e Vectra. Seu porta-malas comporta 200l e conta com tanque de 35l . O motor é 1.0 de 65cv. Resta saber se este será trocado pelo 1.0 VHC Flexpower, o que acarretaria em menor autonomia do veículo, por seu motor no mercado chinês ser mais econômico e fazer médias de 18km/l. Vamos aguardar para ver se a Chevrolet vai se adiantar ou vai esperar o ataque da Chery com o QQ.

Prisma Y – O conceito, mostrado no Salão do Automóvel de São Paulo, é, como muitos já suspeitavam, praticamente o modelo de série. O Prisma Y, ou Viva (o nome ainda não foi definido), é um derivado “off-road” – leia-se, apenas com visual diferenciado – do antigo Corsa. Atuará no segmento do Ecosport, devendo contar com os motores 1.4 e 1.8 para isso. O desenvolvimento do modelo e sua linha de produção está avançadíssimo, e chegará às ruas do Brasil em 2008. São aguardadas as linhas do conceito, com a grade dianteira é inspirada nos novos modelos norte-americanos como Avalanche e Malibu, no modelo de série..

Novidades mecânicas – Haverá algumas mudanças mecâncias na linha. O Astra renovado deverá será lançado junto com um possível motor 2.0 “Econo.flex”, uma evolução sobre o atual flexpower, só que mais potente. Cogita-se também trocar o motor 2.4 do Vectra pelo “novo” 2.4 da S10. Já o 1.4 flex deverá equipar, em breve, a linha Corsa, assim como o Celta.

Texto: Matheus Q. Pera
Fotos: Divulgação
Fontes: Chevrolet (China).

O Expression, agora com outro sotaque

fevereiro 2, 2007

No próximo mês, conforme já havíamos anunciado, a GM lancará o Vectra Expression. Trata-se de uma versão simplificada do sedan da marca, nicho em que estava ausente. O preço inicial é de aproximadamente 55 mil reais, distante, assim, do Vectra Elegance. Este último acabou de ganhar AirBag Duplo de série, e novo incremento no preço, para se distanciar da nova versão.

A maior diferença no exterior são as rodas de aço de aro 15, menor, assim, que as de alumínio aro 16 da versão superior. Os pneus são 195/60. Esta configuração deve proporcionar maior conforto ao carro.

No interior estão as principais mudanças. Os detalhes do interior são mais simples, em preto, ao invés de prateados, como no Elegance. Os revestimentos também estão mais espartanos. Mas não faltam os equipamentos de conforto: ar condicionado convencional (não digital como no Elegance), vidros, travas e retrovisores elétricos. O câmbio automático será oferecido como opcional.

No aspecto da segurança, o airbag duplo virá como opcional, mas os freios ABS nem nessa lista estará disponível. Estão ausentes, também, o encosto de cabeça e o cinto de segurança de três pontos para o terceiro passageiro.

Os dois principais concorrentes são o Megane Expression, que curiosamente tem o mesmo sobrenome, e têm a grande vantagem de já vir equipado com airbag duplo e freios ABS na mesma faixa de preço, porém sem a opção do câmbio automático. Outro forte concorrente é o Toyota Corolla XLi, que, como o Vectra não oferece airbag duplo e abs no pacote básico de 55 mil reais, mas conta com a opção do câmbio automático, além do motor mais eficiente da categoria, mesmo que pese o fato de ainda não ser flex. A Honda não têm sedan médio nessa faixa de preço.

Definitivamente a entrada da nova versão só aumenta a competitividade do modelo no mercado, oferecendo um pacote atraente para o segmento.

Os mostradores muito mais simples, semelhante ao dos modelos menores da montadora

Ar-condicionado manual

Não há apliques claros, mas mantém o trio elétrico como equipamento de série

Calotas com desenho simples

Os bancos mantém o desenho, e adotam tecidos mais simples

Texto: Guilherme Lopes

Colaboração: Acir (Curitiba Racing)


O conforto, cada vez mais próximo

novembro 3, 2006
“Foi tudo rápido demais. O sinal ficou verde, acelerei e virei a esquina. Não deu tempo nem de esticar a segunda, quando vi aquele Vectra novo estacionado, como mais um dos vários já vendidos. Mas tinha alguma coisa estranha nele. Quando dei por mim, que aquele carro poderia ser o que parecia, freiei delicadamente, quase perdi meu pára-choque traseiro, e estacionei em frente ao dito-cujo. Olhei no retrovisor e pensei “não é possível”. Pra qualquer outra pessoa que passasse ali, aquilo não significava nada. Mas pra mim, um pobre mortal do interior de SP, apaixonado por carros, aquela era uma coisa que não se repetiria nunca, pelo menos nas próximas semanas. Desci todo eufórico, com meu celular já preparado pra tirar as fotos. Sim, era ele. Não haviam as plaquetas nas portas dianteiras identificando a versão, mas as calotas de aro 15″, os frisos, espelhos e maçanetas pretos, e a falta de faróis de neblina já diziam: era um Vectra Comfort. Os vidros estavam todos bem escuros, sem chance nenhuma de se olhar lá dentro, mas ali eu já sabia: bancos de tecido, ar condicionado simples, sem computador de bordo ou apliques prata. O carro em si não era AQUELA novidade, visto que o próprio AutoDiário já tinha mostrado o modelo há alguns meses, mas ao vivo a coisa muda de figura. Tirei a foto da frente, sabendo que valor aquilo tinha. Na da traseira porém, uma voz lá de cima gritou “Hey, vou cobrar, hein??”. Não, não era Deus. Era o “dono” do carro mesmo, na sacada dum sobrado. Um funcionário da GM, muito, mas muito simpático, que não se mostrou nem um pouco incomodado por eu estar invadindo uma coisa mais restrita de seu trabalho. Pelo contrário, falou do carro como se quisesse que eu espalhasse tudo aquilo ali, mesmo. Me contou que o carro vem sim, apesar de dizerem que uma publicação “o matou”. Só não se sabe quando. A marca está esperando “baixar a poeira” (algo entendível como os rumores sobre o carro forem esquecidos um pouco). Ele falou um pouco de inutilidades, eu queria esticar a conversa um pouco mais, até pedir pra ver o interior. Mas o começo de uma chuva tentava me espantar dali rapidinho. E o fiz. Fui embora vendo aquele modelo se afastar pelo retrovisor.

Será que eu fiz um flagra mesmo? Será que o carro está prestes a ser lançado? Será que a GM está dando Vectras Comfort aos funcionários para estes usarem e testar a reação das pessoas na rua? Bom, se for essa última mesmo, e se depender da minha opinião, ele vai ser logo lançado. Fiz questão de deixar bem claro que o modelo estava maravilhoso (o que de fato estava), mesmo sem adereços estéticos, e seria uma oportunidade muito bem vinda pra GM aumentar as vendas dele, mesmo matando um pouco as do Astra. Afinal, por uns 52 mil reais estimados, o carro começa a se tornar muito interessante…”

Por Adriano Vieira

Preferência Nacional

outubro 11, 2006
A preferência do brasileiro nunca foi tão evidente. E a GM sabendo o que o brasileiro gosta, investiu fortemente na área e conseguiu se superar. Ainda não sabe do que estamos falando? No ano passado, a montadora lançou uma das mais belas traseiras já vistas no nosso mercado (Novo Vectra). A do novo Prisma, apresentado esta semana, conseguiu resultado ainda melhor.
Mais brasileiro impossível: o modelo é lindo, principalmente se visto por trás, tudo isso numa personalidade muito “simples”. A versão equipada com os acessórios da GM realmente impressiona, e, mesmo sem eles a boa impressão acerca do design se mantém.

Se por fora impressiona, por dentro esta impressão se desfaz. O sedanzinho apresenta o mesmo acabamento do modelo do qual deriva, o Celta. Os plásticos transmitem uma sensação ruim e estão mal-encaixados, gerando muito ruído. O encosto do banco traseiro é baixo – não adequado para pessoas de maior estatura.

O porta-malas têm 439l, ainda que perca espaço com a inconveniente dobradiça do porta-malas que avançam para dentro do compartimento. É menor que o dos concorrentes, mas é mais do que suficiente para um carro compacto.

Aonde o modelo realmente derrapa é quando se trata de segurança. O Prisma deriva-se do Corsa B, lançado em 1993 na Europa. Pelo NCAP, agência que regula a segurança dos modelos vendidos na Europa, ele só obteve 2 Estrelas, dentre as 5 disponíveis. Enquanto isso, o Corsa lançado em 2002 aqui obteve 4 estrelas.

Se não bastasse isso, tanto o Airbag quanto o ABS estão indisponíveis para o modelo. Mesmo que todos os sedans concorrentes da faixa de preço o tragam como opcional. Falta, ainda, apoio de cabeça e cinto de três pontos para quem senta no meio do banco de trás.

A grande vantagem de ser derivado do Celta é o baixo peso. Aliado ao novo motor 1.4 econo.flex, o modelo têm desempenho invejável na categoria. Leva apenas 10,6s para chegar aos 100km/h (abastecido com álcool). Tudo isso aliado à uma grande economia, segundo a GM. A taxa de compressão é adequada para rodar com álcool: 12,4:1. Abastecido com este combustível o modelo conta com 97cv. Com gasolina são 85cv. A decisão de adotar alta compressão no sedan foi acertada.

O modelo parte dos R$ 29.990,00 e, equipado com ar e direção hidráulica vai para os R$ 35.940,00. Um preço coerente que destoa da tabela da empresa, já que são valores praticamente iguais aos praticados, na tabela, para o Celta 1.4. Com os acessórios das fotos, o preço do modelo supera os 44 mil reais.

A concorrência é acirradissima. Na Fiat: concorre com o Siena Fire e ELX (1.0 e 1.4, respectivamente). O primeiro, por R$ 36.800,00 vêm bem equipado, já com trio elétrico, ar, direção, air bag e ABS (todos opcionais). Básico custa 10 mil a menos. É o maior concorrente do modelo, principalmente com a chegada da versão 1.0. A segunda versão pode ser encontrado na mesma faixa de preço, porém sem os equipamentos de segurança do modelo mais simples.

Na Ford concorre com o Fiesta 1.6 Flex, facilmente encontrado, também, na mesma faixa de preço de R$ 37.000,00 e com equipamentos equivalentes (trio, ar, direção). A grande vantagem do modelo da Ford é a modernidade do projeto, lançado em 2002.

Na Renault concorre com toda a linha Clio Sedan, que têm como diferencial na categoria a segurança (com airbag duplo de série) e o bom acabamento. Pode ser encontrado na mesma faixa de preço dos R$ 37.000,00, com trio ar e direção e airbag na versão Authentique 1.6 16v de 115cv.

O grande filão do modelo será o mercado dos 1.0 pequenos, cujo líder é seu irmão-gêmeo Classic. Mesmo que tenham qualidades distintas, é seu sucessor natural.

Texto: Guilherme Lopes

Fotos: Divulgação

Celta SS

agosto 26, 2006

A GM está preparando o Celta SS pro Salão do Automóvel (que vai do dia 19 ao 29 de Outubro). O carro provavelmente ainda está em fase final de escolha de acessórios, como mostra a diferença nos dois carros, 2 e 4 portas, nas quatro fotos tiradas por Erwin Lucas, num evento da Chevrolet, em Salvador. Apesar de um gerente da marca ter afirmado que o carro estava sendo lançado ali no evento, são grandes as chances da GM guardar a grande apresentação da sua “pimentinha” pra dar mais um ânimo no seu stand em Outubro.

O carro estreará o motor 1.4 Flex de quase 100 cavalos, que chegará junto ao Prisma e um pouco depois ao modelo comum. Ainda apresenta os detalhes em prata, a inscrição SS nas portas e grade, rodas de 14″, saias, espóiler e aerofólios característicos dos SS. A surpresa fica por conta do rack de teto, que deverá ser abolido na versão de linha. Interiormente ele não receberá modificações, já que o fator “economia” falou mais alto, mas provavelmente se baseará na versão Super, com detalhes prata e um acabamento melhor.
Os preços deverão ser cerca de mil à mil e quinhentos reais acima da versão Super, partindo de cerca de 28 mil reais, em uma possível versão 1.0 de duas portas, passando a pouco mais de 32 mil reais pelo 1.4 4 portas, e chegando a exorbitantes 45 mil reais para a versão com todos os opcionais e os já conhecidos acessórios que a GM oferece em sua rede.

Texto: Adriano Vieira
Fotos: Erwin Lucas



Prisma no caminho

agosto 18, 2006
Algumas unidades do Chevrolet Prisma já foram flagradas em caminhões “cegonha” próximos de São Paulo. Infelizmente não conseguimos fotos, mas de acordo com a descrição, podemos esperar uma traseira parecida com a do Honda Accord (foto acima). As lanternas são triangulares, englobando todas as luzes, e a placa fica na tampa, seguindo o seu irmão Celta.
O Prisma deverá ser lançado até o fim do ano, possivelmente no Salão de São Paulo, em outubro.

Texto: Fernando Pedroso
Foto: Marcelo Goto